(16) 3363-3012 faleconosco@eyetec.com.br
Paciente cirúrgico: o  que ele busca em uma clínica oftalmológica?

Paciente cirúrgico: o que ele busca em uma clínica oftalmológica?

Nos dias atuais, devido ao enorme acesso à internet, o paciente cirúrgico é muito informado. E, com toda informação disponível, é muito difícil que o paciente não chegue na clínica já sabendo sobre a sua doença e até das opções de tratamento que ele tem. 

Além disso, ele entra no site da clínica para ver o que ela oferece e para analisar melhor a equipe médica. Tudo isso vai criando uma confiança antecipada!

Um outro ponto a respeito desse paciente é a ansiedade. São pessoas que querem ser atendidas rapidamente, assim que chegam no consultório. Também buscam saber de tudo o que pode acontecer antes, durante e após a cirurgia. 

Todas essas características influenciam diretamente no atendimento que o médico precisa dar ao paciente cirúrgico, que é, normalmente, mais exigente que os demais.  

Pensando nisso, elaboramos algumas dicas que irão te ajudar a ser bem-sucedido no contato. Confira!

Leia também: Entenda o que é e como funciona a cirurgia refrativa

 

Primeiras impressões

O paciente que busca uma clínica oftalmológica já com indicação de cirurgia quase sempre foi encaminhado por um médico ou recebeu a sugestão de outro paciente que foi operado com sucesso no mesmo lugar. Por isso, a primeira impressão é crucial: ela pode confirmar as boas recomendações ou negá-las de maneira irreversível.

Todos que fazem parte da instituição precisam estar muito bem treinados, já que essas pessoas também podem surpreender positivamente o paciente com um tratamento cordial e informações. Por exemplo, primeiro o paciente passa pela telefonista para marcar um horário. Depois ele chega à recepção, entra em contato com a enfermagem e, por último, com o médico. 

Além disso, o aspecto físico da clínica, como iluminação, sinalização, ambientação e higiene, é outra frente que não pode ser descuidada, bem como a atenção dada aos acompanhantes do paciente

 

Relação médico-paciente

Esse é um verdadeiro diferencial! Um atendimento, principalmente o primeiro, feito com real interesse pelo paciente é,na maioria das vezes, o que determina a escolha e a preferência pela clínica.

A primeira coisa que o paciente cirúrgico vê é se o médico responde às perguntas de maneira clara, detalhada, com firmeza, sem deixar o paciente em dúvida. Além disso, a boa didática para explicar doenças e procedimentos pode ser decisiva até para “convencer” o paciente de que ele precisa ser operado. 

Por exemplo, se um paciente tem catarata mas não acha que ela está incomodando, ele só vai entender o incômodo a partir do momento que a catarata for retirada. Por isso, é preciso mostrar a ele, de maneira clara e objetiva, a necessidade da cirurgia. 

 

Equipamentos de qualidade 

A maioria dos pacientes cirúrgicos de oftalmologia são leigos em relação à especialidade e ,por isso, uma explicação sobre a qualidade dos equipamentos utilizados na cirurgia provavelmente não fará sentido para quem será operado.

Sendo assim, a qualidade dos equipamentos e instalações vão interferir diretamente no resultado da cirurgia e consequentemente, no boca a boca positivo ou negativo sobre sua clínica. Logo, o que conta para o paciente é a recomendação feita por outro médico ou por outro paciente operado com sucesso.

Por isso, é fundamental que a clínica esteja em constante busca por conhecimento sobre tecnologias de ponta, que mantenha a equipe médica atualizada e que renove o parque tecnológico quando necessário. 

 

Pós-operatório: continuação de qualidade

Igualmente o primeiro atendimento, a qualidade do pós-operatório é essencial para a satisfação do paciente cirúrgico.

Uma dica é entregar um kit pós-operatório com colírio e óculos de proteção para aumentar a sensação de acolhimento e segurança, além de fornecer informações da consulta de retorno.

O importante aqui é o paciente saber e sentir que o atendimento não finaliza quando acaba a cirurgia e nem mesmo depois que ele já está totalmente recuperado. Afinal, a saúde visual dele deve ser cuidada e acompanhada por toda a vida e os médicos precisam estar sempre a postos para fazer isso com a máxima qualidade!

 

Sempre escute o paciente!

Não importa se a pesquisa será por meio de formulários deixados na recepção, por e-mail, telefone ou outro meio de contato entre a clínica e o paciente. O fundamental é que todas as considerações enviadas à clínica, positivas ou negativas, sejam levadas em conta, e que o paciente tenha uma devolutiva. 

Quando um paciente está satisfeito, ele traz outros cinco. Já um paciente insatisfeito leva 25!

 

Viu como os pacientes devem receber o melhor de uma clínica oftalmológica? Aproveite o momento para visitar nosso Blog e conferir outros conteúdos!

Como comprar os melhores equipamentos oftalmológicos para sua clínica?

Como comprar os melhores equipamentos oftalmológicos para sua clínica?

Saber como escolher os equipamentos oftalmológicos para sua clínica não é tão simples assim. 

Afinal, a inovação tecnológica não para. A todo o momento novos equipamentos médicos são lançados, deixando para trás as versões anteriores. E, obviamente, na área da oftalmologia isso também acontece. 

Pensando nisso, elaboramos algumas recomendações para te ajudar nesse processo. Continue a leitura e saiba como comprar os melhores equipamentos oftalmológicos para sua clínica! 

 

O que considerar na hora da compra?

Essa dica é bem importante, no momento de adquirir o produto não esqueça de certificar se os itens comercializados são aprovados por institutos de regulamentação, como Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade de Tecnologia), por exemplo.

Lembre-se  que seu trabalho está diretamente ligado à vida das pessoas, por isso é fundamental estar cem por cento atento!

 

Como escolher a empresa?

Conforme comentamos acima, a profissão do oftalmologista é cuidar da saúde ocular do paciente, por isso, na hora de escolher a empresa da qual você irá comprar os equipamentos oftalmológicos, não seja conduzido apenas por preços atrativos, tente entender o valor da aquisição e não apenas o quanto ela vai custar. 

Confira algumas dicas e opte pela empresa que:

  • Te oriente sobre soluções obsoletas, comercialmente frágeis ou arriscadas;
  • Ofereça consultoria sobre o melhor equipamento a ser adquirido;
  • Tenha conhecimento das tecnologias que existem no mercado mundial;
  • Te mostre os detalhes sobre a operação do equipamento adquirido;
  • Ofereça materiais de orientação aos clientes;
  • Ofereça assistência técnica.

 

Como analisar as propostas?

O ideal é avaliar as propostas do ponto de vista médico e financeiro. Primeiramente, procure entender os benefícios que a solução oferecida irá trazer à imagem do seu negócio e, claro, os pacientes. 

Já em relação ao caixa do consultório, é importante ficar atento aos custos que estão por trás do equipamento, como o operacional e de manutenção, insumos, peças, consumo de energia, e também daqueles relacionados a instalação, frete e impostos.

 

Bons hábitos pós-compra

É bem importante, após a aquisição do produto, registrar todo o processo de compra dos aparelhos que equipam sua clínica ou consultório. Com isso você terá um histórico sobre todas as etapas da compra, desde o começo da compra até o final.

Além disso, guarde toda a documentação dos equipamentos num arquivo, assim, caso algum item apresente algum problema, será mais fácil de encontrar as informações sobre o que fazer ou a quem procurar. 

 

Escolha uma empresa que facilite sua compra!

Como citamos acima, comprar um equipamento oftalmológico apenas “porque é barato” nem sempre é a melhor solução. Precisamos ter em mente que adquirir um aparelho de alta qualidade será um investimento, além de trazer segurança, tanto para o doutor quanto para o paciente.

Pensando em te ajudar, agora você pode comprar os produtos EYETEC com financiamento do BNDES! 

É uma forma ágil e segura de financiar seu investimento e garantir seu equipamento oftalmológico de primeira qualidade! 

Os juros são menores e o prazo de amortização bem maior. Assim como a carência. Em outras palavras, as taxas são baixas e as empresas têm mais tempo tanto para quitar a dívida quanto para começar a pagar.

Consegue ver como essas condições de pagamentos facilitam o fluxo de caixa da sua empresa e permitem o crescimento da sua clínica ou consultório?

Veja a opção mais adequada ao seu negócio e faça uma simulação! 

 

Agora, se você gostou desta leitura, que tal aproveitar a visita e conferir também: Consultório básico: equipamentos essenciais Eyetec para quem está começando.

Oftalmologia na prática: o que você precisa saber antes de se especializar

Oftalmologia na prática: o que você precisa saber antes de se especializar

Você sabia que a oftalmologia é a 9ª especialidade com mais médicos no Brasil? De acordo com a pesquisa Demografia Médica no Brasil 2020, apenas na última década, estima-se que 180 mil novos médicos estejam registrados nos conselhos regionais de medicina.

Consequentemente, com o aumento do número de profissionais se formando em graduação, o número de vagas em Residência Médica também cresceu: 80% entre 2010 e 2019. Isto é, para aqueles que querem se tornar especialistas, inclusive em oftalmologia, a concorrência é grande.

Por isso, quanto mais cedo a escolha da área a seguir for feita, melhor o acadêmico pode se preparar.

Preparamos um guia para  te ajudar a entender se a residência em oftalmologia é a certa para você. Confira!

 

Você também pode se interessar: 5 passos para guardar dinheiro e abrir sua clínica 

 

A importância do oftalmologista

A especialização médica em oftalmologia é atribuída ao estudo e tratamento de doenças e problemas de refração apresentados pelo olho. Logo, o oftalmologista é o médico responsável por estudar, diagnosticar e tratar as disfunções do sistema visual. 

Isto é, assim como os outros médicos, o oftalmologista é responsável por cuidar da saúde do paciente. Porém, diferente dos outros médicos, este especialista não apenas oferece apenas uma vida mais saudável, mas também permite que a pessoa veja o mundo de outra forma.

Por essa e várias outras razões é que o oftalmologista, também chamado de oftalmo, pode fazer muita diferença na vida de uma pessoa!

 

Formação profissional e residência

Em primeiro lugar, para se tornar um oftalmologista é necessário cursar medicina. A graduação dura 6 anos e engloba capacidades profissionais por meio de aulas teóricas e práticas.

O outro requisito para completar a formação é concluir a residência médica, neste caso, é uma residência de acesso direto (sem pré-requisitos) e dura 3 anos. 

Durante esse período, o médico terá contato com as diferentes formas de atuação dentro da especialidade: atendimento ambulatorial, emergencial, cirurgias de refração, catarata, glaucoma, entre outras. 

Além disso, ao longo da formação, os residentes tem matérias como: 

  • Anatomia 
  • Optometria
  • Microbiologia 
  • Neuroanatomia
  • Técnica cirúrgica
  • Cirurgia oftalmológica 
  • Óptica física/fisiológica 
  • Oftalmologia preventiva
  • Imunologia e parasitologia 
  • Fisiologia do olho e da visão

 

Atuação e mercado de trabalho

O oftalmologista pode atuar na área clínica ou hospitalar, em redes públicas e privadas. Uma outra opção é seguir carreira acadêmica, realizando pesquisas e exercendo atividades em universidades. 

Existem, também, as chamadas subespecialidades em que o médico pode se dedicar, como por exemplo, a oftalmopediatria, plástica ocular e cirurgia refrativa.

Além disso, o profissional pode aprofundar conhecimentos em doenças orbitárias, doenças das vias lacrimais, estrabismo, glaucoma, catarata e em problemas da retina.

Vale lembrar que a prática da oftalmologia demanda gosto pela medicina e pelas ciências biológicas, da faculdade até a rotina de trabalho. Por isso, um profissional da saúde tem que ter disponibilidade para o estudo, facilidade e sensibilidade para lidar com as pessoas e capacidade de observação. Assim, é possível acompanhar os pacientes e fazer a diferença no dia a dia!

 

Quanto ganha um oftalmologista?

Atualmente, a média salarial de um Médico Oftalmologista é de R$ 5.088,12 para uma jornada de trabalho de 19 horas semanais, de acordo com pesquisas realizadas com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED).

 

Oftalmologista x Oculista

É bem comum que a atividade do oftalmologista seja confundida com a de um oculista. Porém, existem diferenças significativas entre as duas profissões. Conforme mencionamos acima, o médico especializado em oftalmologia analisa as doenças relacionadas ao olho e à visão. Assim, ele receita os possíveis tratamentos.

Já o oculista é responsável por ler e interpretar essas receitas. Ele produz e cuida da manutenção das lentes e dos óculos, além de orientar os pacientes sobre as características do produto para melhor adaptação de acordo com prescrição médica.

 

Gostou do texto? Continue acompanhando nosso Blog para mais conteúdos como esse!

Até a próxima! 🙂

 

Oftalmoscópio Binocular Indireto – Sistema de vídeo inovador!

Oftalmoscópio Binocular Indireto – Sistema de vídeo inovador!

O Oftalmoscópio Binocular Indireto (OBI) é um equipamento usado no exame de mapeamento de retina, que permitirá a avaliação da retina, parte interna do globo ocular, dos vasos, nervo ótico, área macular e periferia da retina.

O médico utiliza o OBI, que é preso em sua cabeça, e com um jogo de lentes, diafragmas e condensadores, ele obtém uma imagem invertida, porém com uma área maior da região ocular.

O objetivo desse exame é detectar presença de opacidade de meios (vitreíte, hemorragia vítrea), defeitos ou rasgos retinianos, acompanhado ou não de descolamento de retina, presença de tumores, nevus e vasculopatias.



Oftalmoscópio Binocular Indireto Eyetec

O OBI da Eyetec é um equipamento leve e confortável que está disponível em três modelos: 

  • Oftalmoscópio OSF 1.0
  • Oftalmoscópio OBI LED
  • Oftalmoscópio OBI – OSF

Os três modelos possuem mecanismos reforçados que garantem controles macios e precisos para ajustes suaves de todos os seus movimentos, além de um capacete leve e confortável. 

 

Sistema de vídeo EYECAM

EYECAM é o Sistema de vídeo Eyetec, que pode ser acoplado em qualquer um dos nossos modelos atuais disponíveis.

Realiza o mapeamento auxiliado por um software que garante economia de tempo e praticidade!

Além disso, os vídeos podem ser gravados no computador ou no cartão de memória para análises posteriores e os desenhos e anotações podem ser feitos direto no software.



Tecnologia LED

Uma das grandes vantagens do OBI Eyetec é a sua baixa manutenção e maior durabilidade, já que seu dispositivo de iluminação não é lâmpada incandescente (com filamento) e sim um potente LED (Super LED).

Possui, também, feixe luminoso com 2 baterias recarregáveis de alta duração e aparato em resina de alto impacto, que oferece ampla e nítida imagem do fundo do olho, possibilitando excelente diagnóstico.




EYETEC PIONEIRA NO BRASIL NO DESENVOLVIMENTO DE EQUIPAMENTOS OFTÁLMICOS!

A Eyetec é uma empresa brasileira, com capital 100% nacional, idealizada dentro da Universidade de São Paulo (USP) por engenheiros, técnicos e pesquisadores. 

Com constantes investimentos e parcerias com os oftalmologistas mais renomados do mercado, colaborando com feedbacks e análises sobre nossos produtos, conseguimos competir em igualdade com empresas multinacionais!

Em nosso portfólio, contamos com uma linha completa de equipamentos para diagnóstico de doenças oculares, presentes na maioria das clínicas oftalmológicas, hospitais e instituições de ensino.

No nosso site você pode conferir todas as especificações técnicas do Oftalmoscópio Binocular Indireto.

Aproveite para nos acompanhar nas nossas Redes Sociais e até a próxima! 🙂

Oftalmoscópio Direto e o Indireto: entenda as diferenças!

Oftalmoscópio Direto e o Indireto: entenda as diferenças!

A oftalmoscopia, também conhecida como fundoscopia, é um exame que tem como objetivo observar a região posterior do globo ocular, que compreende a retina, o disco óptico, a coróide e os vasos sanguíneos ali presentes.

Esse exame detecta sinais de algumas afecções oculares, como glaucoma, auxilia no controle do aparecimento de alterações oftálmicas em diabéticos, com aterosclerose ou com pressão alta.

Este exame é realizado com o auxílio do oftalmoscópio, que permite avaliar a saúde da retina e do humor aquoso.



História do Oftalmoscópio:

Em 1847, o matemático Babbage conseguiu fabricar uma ferramenta para enxergar a parte posterior ao olho humano. Esta ferramenta ganhou vida nova com Hermann von Helmholtz, em 1850, ele foi o primeiro homem a ver um fundo de olho “in vivo”. O termo “oftalmoscópio” surgiu somente em 1853, na Inglaterra.

 Esse evento foi seguido, em 1852, pelo desenvolvimento do método da oftalmoscopia indireta por Ruete e somente anos depois o modelo de oftalmoscópio mais adequado possível como o atual foi criado.

 

 

O Oftalmoscópio:

Existem dois modos de visualização do fundo do olho. O direto e o indireto.

Indireto

No modo Indireto, o médico utiliza um equipamento monocular ou binocular que é preso em sua cabeça, e com um jogo de lentes, diafragmas e condensadores, ele obtém uma imagem invertida, porém com uma área maior da região ocular.

A técnica é chamada de indireta porque o fundo do olho é visto através de uma lente condensadora. A imagem neste método é formada perto do foco principal da lente, entre a lente e o observador. 

O aumento da imagem na oftalmoscopia indireta é muito pouco afetado pelo erro de refração do paciente, mas é determinado pelo poder da lente condensadora. A imagem é normalmente estereoscópica exceto nos casos em que a pupila do paciente é muito pequena.

Oftalmoscópios binoculares indiretos modernos liberam 18 watts o que permite imagens de fundo de olho com muito mais brilho.

Direto

No modo direto, o médico utiliza um oftalmoscópio comum, com um sistema de lentes que propicia somente um ângulo de visão entre 10º e 12º. Esse modo fornece uma imagem direta, como o próprio nome diz.

Aqui, a magnificação da imagem depende do erro de refração do olho do paciente.

Além disso, o brilho da imagem é baixo devido ao limitado poder de iluminação. Os que funcionam com pilhas dão mais ou menos meio watt de iluminação, já os instrumentos que funcionam com transformadores emitem quantidades maiores, mas nunca muitos watts a mais. 

A imagem com o oftalmoscópio monocular direto não é, na verdade, estereoscópica. A distância de funcionamento do instrumento é de apenas algumas polegadas.



Como escolher o melhor oftalmoscópio?

Por se tratar de um aparelho de grande importância, é crucial que o oftalmoscópio tenha a melhor qualidade possível para realizar os exames com precisão e riqueza de detalhes.

A Oftalmoscopia Direta, pelo aumento excessivo da imagem, intensifica o efeito dessas aberrações e resulta em uma imagem borrada. O pequeno aumento do Oftalmoscópio Indireto permite melhor poder de resolução

 


Oftalmoscópio Binocular Indireto Eyetec!

Nosso Oftalmoscópio binocular indireto é um equipamento pioneiro e consagrado no mercado.

É o Oftalmoscópio mais vendido em quase 3 décadas, sendo líder no mercado!

Conta com um maior durabilidade , já que seu dispositivo de iluminação não é lâmpada incandescente (com filamento) e sim um potente LED (Super LED). Além disso, o equipamento é leve e confortável, permitindo ao examinador o uso por períodos prolongados sem causar fadiga.

Acesse nosso site e confira nosso catálogo completo!

 


E então, gostou do tema deste post?

Agora você já sabe para que serve o oftalmoscópio e entende a importância desse artigo médico.

Continue acompanhando nosso Blog para mais informações e até a próxima! 🙂